sábado, 23 de janeiro de 2010

Não espere

Não espere que a vida seja eterna.
Não, não espere.
Não espere que o amor dure para sempre.
Não espere não ter brigas com amigos.
Não crie expectativas.
Não espere a presença, da ausência.
Não espere nevar, para agasalhar-se.
Não espere que seu cachorro fale. Fale com ele. Fale por ele. Sinta-o.
Não espere a realidade.
Espere a loucura.
Não espere a saudade, da vontade.
Não espere a revolução, da alienação.
Não espere a luz no fim do túnel. Ande sempre com uma lanterna no bolso.
Não espere o tempo certo, onde em uma cidade e em um dia, pode-se ter as quatro estações do ano.
Não, não espere.
Não espere do calor, o frio.
Não espere da ilusão, a mágica.
Não espere da comédia, uma tragédia.
Não espere do azul, o amarelo.
Não espere do barraco, o castelo.
Não espere para fazer o que tem vontade.
Não espere para falar o que quiser.
Não espere a perfeição.
Não, não espere.
Não espere o sorvete derreter.
Não espere sua família morrer.
Não espere ter um piripaque, para aí então desabafar o que sente. Chore.
Não espere um sonho.
Não espere a chuva cair para molhar-se. Use um guarda-chuva.
Não espere que as pessoas sejam boas com você.
Não espere viver até os oitenta e nove anos.
Não espere a alegria em quem só há tristeza.
Não espere a confiança, a perseverança e nem a elegância, da hipocrisia.
Não espere ter câncer de pele para usar  filtro solar.
Não espere a verdade de quem só conta mentiras.
Não espere aquele telefonema de quem disse que ligaria.
Não espere o fim, para aí então achar uma solução.
Não espere plantar milho e colher ouro.
Não espere dormindo.
Não espere o comprometimento de quem deu sua palavra.
Não espere  que o sinal da TV melhore em dia de chuva.
Não espere o amor vir bater na sua porta.
Não espere a felicidade. Busque-a.
Não espere o amanhã.
Viva o hoje.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Uma outra realidade




No futuro, Jake é o ex-fuzileiro naval paraplégico enviado a um planeta chamado Pandora. Lá, além da riqueza em biodiversidade, existe também a raça humanóide Na'vi, com sua própria língua e cultura. O que evidentemente entra em choque com os humanos da Terra.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

La revolución

La reolución,
És lo conocimiento.
El conocimiento que los jóvenes dejáran de buscar.

Buscan por otras cosas,
Prioridad.
Se aferran a las melodías
Y olvidan el significado.

Sólo cuando  todo está mal,
Todo está desmoronando
Las personas perciben los errores cometidos.

El camino es la revolución.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

O Apanhador no Campo de Centeio




Jerome David Salinger


Nascido em 1919, desde sempre foi avesso à imprensa ou outras formas de divulgação da sua figura, tornando-se paranoicamente recluso. Ainda na época do lançamento de The Catcher in the Rye, na década de quarenta, fez o seu editor prometer que não lhe enviaria quaisquer críticas que fossem publicadas sobre o livro. Reclamou também que a sua foto na contra-capa estaria muito grande. Solicitou que não fosse feita qualquer publicidade do livro aludindo à sua pessoa, alegando que não queria correr o risco de acreditar no que leria.

Holden Caulfield. Personagem criado por Jerome David Salinger.Talvez por Jerome ser meio recluso, ao criar o personagem, tranpareceu  de uma certa forma um pouco do seu jeito de pensar, o vazio e a falsidade das pessoas, que por mais promissoras que pareçam sempre acabarão por se revelar como mais uma decepção.

Por mais que digam que o que escrevam seja diferente de seus pensamentos, em uma pequena parte do que escrevemos, acaba tornando-se uma parte de nós.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Efeito

"A pessoa certa é a que está ao seu lado nos momentos incertos."
[Pablo Neruda]

Fotografia's



Um pouco do céu do sertão




Um pouco da praia nordestina.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Visão periférica


Do céu eu vejo tudo diferente
Crianças que querem ser adultos
Adultos querendo ser crianças.
Muitos com pouco e poucos com muito.

Do céu eu vejo o preconceito encapado pela mediocridade,
Espelhando-se na falta de argumentos e opinião.

Do céu eu vejo
A juventude se perdendo
Num emaranhado de novas idéias  que estão surgindo.
Personalidades estão sendo piratiadas por aí.
Vejo a mentira contada por cretinos.


Do céu eu vejo falsos moralistas,
Esculpindo uma verdade inexistente.
Do céu eu vejo a angústia e o medo que está por vir.
Vejo o Apocalipse.

Do céu  eu vejo tudo.
Tudo além do que meus olhos podem enxergar.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Parte de mim



"Meus pés apontam para onde eu quero que eles apontem."

Uma verdade inesperada

Verdades.
Verdades que duvidamos que sejam verdades, mas que na verdade, são verdades de verdade.