sábado, 14 de janeiro de 2012

Brincando de poesia


Passos de Quimera


Piso com pés descalços no marfim
Como eu quereria que não fosse assim
Assim como o sol do seu sorriso
Ao cair do mármore menos liso
Nos olhos tenho feitiço
Erguendo a mão com o tirso
Serei tua tempestade mais deliciosa
O horror me acompanha de hora em hora
E faz-me nos passos de quimera
As pegadas da escuridão que nada altera.


(Laís Thalles/ Paulo Sposati Ortiz)

Nenhum comentário :

Postar um comentário