quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Entre quedas e confins

O barulho me atormenta
Não poder ter um minuto de paz
Ouvir aquelas melodias ridículas e podres de uma mesma nota
Fazem minha mente querer estar em outro lugar
Um falatório absurdo
Momento em que apenas um livro seria a chave
Lugares
Mares
Mergulhos
Apenas fechar os olhos e saber que está lá
O samba
Tão lindo e sutil
Em Cartolas brotam rosas maravilhosas
Um chapéu, uma xícara, um óculos escuro e só
Felicidade dá-se em passos de arco-íris.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

O cru e o cozido

Com o telefone na mão espero o previsível.
Os olhares, os sorrisos. Indiferentes.
Por que não permanecer limpo como o seu girassol?
Uma luz verde pisca
Verde outro tempo
Passos  pequeninos saltitam na cerâmica ao som de calle 13
O tom camomila comprido se faz em dias de sol
O sorriso incompleto em formação
Aspirações 
Silêncio convertido em som

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

A pedra-leão

Estar fora de si
Se ver no outro
Paradoxo  déjà vu
Transcendência
Cristal. O dia da ida.