quinta-feira, 17 de março de 2016

Paralelo arco íris

Semanas sem dormir
Minha mente não para 
Lágrimas em ouvir a voz rara
Alma sentinela
Almeja vida em aquarela 
Entendo a sensação de não dormir
Seu corpo finge estar se concentrando
Mas não para de agir
Luz, cento, chuva e pensamento conectando 
Como tinta em risco &  misturada
Quereria eu não passar a noite acordada

O tempo é uma brecha
Entre janela e cílios que abre e fecha 
Tempo que se faz em dias iguais
Sem músicas atuais 

Já nem sei que tamanho é a saudade
Mas o querer é incessante 
Agonia pura e constante 
De com você devorar o mundo em sã idade