domingo, 7 de julho de 2013

Caminhar sem dois

A solidão escorre por  entre as paredes
Água guia a alma até o ralo
O cabelo gruda no batom que borra o espelho
Sorriso laminado envolto de gargalhadas & simpatias
Um querer que não se sabe
Caminha densamente até um clarão definitivo
Onde não se pode escolher em dias de pássaro
Um aninhar em mi menor
Um alinhar sem dor
Um caminhar sem dois
Dopamina

Nenhum comentário :

Postar um comentário