terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Filho da terra

Ouço vozes
Vejo pessoas
Pronuncio palavras
E o eco vem ao meu encontro
Sensação agonizante
Cinco segundos são eternos
Fecho os olhos e respiro a madeira
Quando olho novamente
Ainda estão ali
Bato no vidro
Me destampam
Respiro então o ar de todos
Dos vivos
E dos quase mortos

Um comentário :