segunda-feira, 16 de março de 2015

Assinado eu

Meus olhos ardem amor
Nao levo nada além de uma dor
Teu respiro é minha cor
Quantos dias pra caminhar na plataforma sem sabor?

Outrora meu coração bate inquieto 
Quero sonhar e permanecer inerte
Meu eu num breu sem eixo nem teto 
Quantos pulmões quer que eu aperte?

Caminhando ouvindo uma canção 
Já não se faz do aço um coração 
Sua face aqui espero
Com pressa, e de modo eterno 



Nenhum comentário :

Postar um comentário